3 de dez de 2009

Inveja.

Nunca quis ser gente grande, que isso fique claro.
Sempre achei que o tempo tinha que parar aos 14 ( minha melhor das melhores épocas ), mas se era pa crescer, que fosse até os 16, no máximo.
Se tem 2 coisas que eu quis aprender nessa fase e achei que já estava velha demais, e hoje em dia penso no quanto eu fui boba, foram aprender a tocar violão ( ganhei um do dindo aos 15, tá no quarto, acho que aprendi uma música ) e a andar de skate, mas como nunca tive o meu, achava muito ruim ficar na aba dos outros, empatando rolé, então só aprendi a remar, e teve também a história da gangrena...( fica pra outra hora ).
Mas o motivo desse texto vem agora:

Tô morando nessa rua há uns 5, 6 meses. É só bom dia, boa tarde, boa noite, mas até aí, normal.
Tem um grupinho, uma galerinha nessa faixa de 13 até uns 16.
Sempre que passo à noite, eles estão no portão de um, rindo, mexendo no celular de um, ou dançando, zoando, que nem adolecente normal faz.
Tem uma menina, que toda vez que eu passava, pensava: "ainda bem que já passei dessa idade, porque assim não tenho que tentar me entrosar na mesma galera dela".


Só que ontem, eu tava indo pra casa de uma amiga ( que mora há uma meia hora de ônibus daqui ) eram umas 23h e a mãe de uma gritando a guria do portão, mandando ela entrar, dizendo que ela já tava na rua desde umas 18h.
Aí ela começou a dar tchau pro povo, abraçando sabe...
Lembrei de 2001.
Rua Fernades Valdez, dependendo de onde você morasse, chamava de Santa Mariana, 19h, sentava na esquina, ou chegava com a Quel, de vez enquando Marlon ou João já estavam,em questão de segundos ouvia o som das rodinhas de 3, 4, 5 skates ( Lobinho, Seboooso e Ian + agregados ) vindo da direita, descendo a Santa Mariana, propriamente dita, o som do violão do Paulinho ou do Felipe Mongol vindo das esquerda, e a galera ia chegando. Em dia comum, num juntava menos de 10 cabeças.
Dia em que todo mundo trazia agregado, quase 40 adolescentes todos de preto, jeans surrado, all star, violões e skates.
Parecia uma convenção. E o mais incrível: sem celular ou msn e orkut.
Celular era coisa pra adulto e uns poucos que tinham o jurássico ICQ.
A gente simplesmente sabia onde a galera ia estar e a que horas.

Dióculos, João, Eberson, Marlon, Claudio, Felipe, Paulinho, Diocão, Bim, Diego, Vanesse, Kaká, Raquel, Ian, Seboooso, Lobinho, Vanderlei, Juninho, Izabel, Nathália, Edson, Andreus, Tiago, Jeeni, Renato, Mocotó, Thiago, Gabriel, Hugo, Manaíra, Paulo Cesar, Ariel, Pamela, Massumi, Márcia, Bruna, Lilian, Luana, Livia, Marcelo (irmão da Márcia), Marcelo ( Pangaré raivoso ), Iuly, Mariana, Jonas...
Tá faltando gente a pampa aí, uns todos os dias, os outros nem tanto, mas, meu, essa era a minha galera...
Me deu saudades dos meus 14 anos.
Me deu inveja da menina do abraço, ela me fez lembrar de um mim que eu não tenho mais.



Gente, só queria dizer o quanto amo vocês e o quanto sinto falta de tudo.




"Boa noite, dia ao menos boa noite, abra ao menos a janela, a serenata é pra você, você, você..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário