15 de mar de 2010

Coisa de pêlo, coisa de pele.

Oi, vem cá, se aquieta um pouco, precisamos conversar.
É um assunto que pra mim é sério, delicado, que venho carregando por toda a minha vida, que quando finalmente consegui manter em segredo, vem você me atrapalhar.
Fica aí me delantando, dando uma de X-9, me entregando, coisa feia isso, sabia?
Mas pra ser honesta, na verdade eu entendo você, e não te culpo.
Te fiz passar por cada coisa, experimentar cada droga que tenho até vergonha de citar os nomes.
Mas no final, sempre cuidei da sua reabilitação, nunca te desamparei, sempre te deixei pronto pra outra.
Alguns tratamentos bem carinhos, mas valia a pena, é claro, se você estava no estado em que estava foi por minha culpa, eu assumo.
Assumo também que agora você não está na sua melhor forma,
E que isso é por pura negliência minha, que não segui o seu tratamento até o fim, mas sabe, você até que tem aguentado firme, e por mais que eu apronte, não me abandonou, como já fez duas ou três vezes,
Mas nem isso tenho o direito de te cobrar, sei que você só queria se proteger de mim,
Só que o nosso lance sempre cresce depois, é uma coisa assim de pêlo, de pele.


Só que essa sua rebeldia não vai levar a lugar nenhum,
Isso de vir encrespando pro meu lado, só vai fazer as coisas ficarem piores, e você sabe que eu não tenho muita paciência, vou acabar te empurrando qualque porcaria pra ver se você se acalma...


Então, cabelinho meu, se comporte.
Prometo que no próximo pagamento vou comprar o xampu e condicionador certos, aquele creme de hidratação que você adora e fica super cheirosinho, o defrizzante maneiro...

Mas por favor, eu te peço, pára com isso de eu ficar a noite te pranchando pra poder ir trabalhar no dia seguinte com cara de gente, e eu chegar na frente do espelho do elevador do trampo e ver, ali, bem na frente, aquela raiz toda cacheada!


Só mais 15 dias, vai...

Nenhum comentário:

Postar um comentário